13 de dezembro de 2011

EXPECTATIVA DE VIDA CADA VEZ MAIS ALTA LEVA FISIOTERAPEUTAS A SE ESPECIALIZAREM EM GERONTOLOGIA

 




Novo levantamento do IBGE mostra que o brasileiro vive em média 73,5 anos; são três a mais do que em 2000


A esperança de vida ao nascer no Brasil aumentou três anos em 2010, se comparado a 2000, conforme o estudo Tábuas Completas de Mortalidade 2010, divulgado esta semana pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Em 2010, a expectativa de vida do brasileiro subiu para 73,5 anos.

Garantir um envelhecimento saudável para a população tem sido uma das preoucupações latentes na sociedade, que exige cada vez mais políticas públicas direcionadas ao idoso. Também os profissionais da saúde despertam para o atendimento geriátrico, inclusive em especialidades ainda pouco difundidas, como a fisioterapia.

— Muito pouco ainda é ofertado aos idosos em relação à manutenção e melhoria de sua qualidade de vida, pensando em um envelhecimento ativo e acrescentando vida aos anos e não anos a vida — comenta o fisioterapeuta Gustavo Nunes Pereira, especialista em Gerontologia.

No ramo da fisioterapia, segundo Pereira, novas técnicas têm sido difundidas com foco no atendimento ao idoso, seja para o tratamento de doenças decorrentes do envelhecimento ou para a redução das limitações causadas pelas perdas funcionais normais da idade avançada.

— O maior objetivo dessa especialidade é manter o idoso ativo e independente, possibilitando a manutenção de suas atividades físicas e sociais — resume.

De acordo com Pereira, o fisioterapeuta pode realizar trabalhos preventivos, visando um melhor condicionamento físico e cardiorrespiratório e prevenindo limitações funcionais, como também pode atuar na reabilitação de lesões e doenças ortopédicas, neurológicas e respiratórias do paciente.