28 de outubro de 2012

ENVELHECER...



Envelhecer repara o cansaço e retira o peso dos ombros, traz a paz da solidão e o silêncio das ausências.Envelhecer não sangra e não dói, é dormir serenamente, largar-se na poltrona e respirar leve.
Envelhecer é só um retirar-se, hibernar no aconchego dos próprios braços.
Envelhecer é esconder-se dentro de si mesmo.Nada pertuba ou vence, nada exaspera ou desafia.Na penumbra de sonho, tomar chá e ler livros, tirar sonecas e espiar a chuva, ouvir os pingos grossos batendo nas janelas e encolher-se satisfeito.Envelhecer é pisar no tapete macio e jogar fora os espelhos.
Envelhecer é estar na casa conhecida e acordar devagarzinho, não precisar dizer mais nada, não se sentir obrigado,É preciso impor-se apenas a si mesmo.
Envelhecer é deixar-se ficar sossegado, sem pressa ou sobressalto.É desistir de estar em evidência, tranquilamente esquecido da vida, aquecido pelas memórias.
É  preciso coragem para envelhecer, porque envelhecer é ter apenas a própria companhia, e muitas vezes surpreender-se com facetas desconhecidas.
Nos cômodos vazios da casa e da alma, ouvir a ressonância de palavras, gritos, murmúrio, choro e risadas.É escutar o eco dos próprios pensamentos.
Envelhecer é reviver o ontem e agradecer o hoje, é não pensar no amanhã.É saber-se inteiro, descobrir-se pela metade, olhar para trás, mergulhar na saudade.É preciso força para envelhecer, porque cada dia é uma comquista e cada noite um desafio.É reerguer-se, absorvendo as marcas gravadas no que resta de orgulho.
Envelhecer é deixar a lágrima rolar, sorrir condescendente, rir sozinho e falar com seus botões.É ter os pés no chão e a cabeça baixa, na reverência de uma prece.
Envelhecer é não ter que dobrar tantas esquinas, saber o caminho de cor, fazer pausas.
Envelhecer é um exercício constante de paciência e uma afirmação ininterrupta de soberania.É remendar bandeiras fincadas no passado, cobrir raízes expostas pelo tempo e colher frutos.
Envelhecer é reunir-se, juntar pedaços, encaixar as últimas peças do quebra-cabeça.É reiterar as certezas e confirmar constatações, é ter concluído a maior parte do caminho, é caminhar sozinho.
Envelhecer é tristeza e alegria, resignação e esperança, valentia e medo.É  presunção, arrependimento, humildade e glória.
Envelhecer é perdoar e esquecer mágoas, iluminar-se e iluminar.
Envelhecer é encarar a vida de frente, olhos nos olhos.É enfrentar destemidamente a aproximação da morte, munido de fé e confiança, numa, justiça tardia.
Envelhecer é inteirar-se de si mesmo, reconhecer imagem e semelhança, e chegar bem mais perto de Deus.
 
 
        AUTORA: SARA MARIA BINATTI  DOS ANJOS