22 de agosto de 2013

ADESÃO À PRÁTICA REGULAR DE EXERCÍCIO FÍSICO.




Os programas de atividade física devem ser desenvolvidos preferencialmente em grupos, possibilitando ao idoso não só satisfação pessoal, como também um suporte social, o que vai de encontro ao contexto do envelhecimento ativo. O fato de estar convivendo com pessoas com as mesmas dificuldades e desafios que os seus pode facilitar uma maior comunicação e compartilhamento dos seus anseios. Além disso, como o programa é desenvolvido em grupo, cria um caráter de compromisso, sendo positivo no aumento da adesão ao programa . Um programa de atividade física ou reabilitação, mesmo quando desenvolvido em grupo, deve atender às necessidas e anseios próprios de cada um, a fim de manter a motivação e o interesse. A prescrição deve ser individual e respeitar os limites do indivíduo, sem impor-lhe uma sobrecarga que ele não possa tolerar, nem tampouco subestimar sua capacidade. É preciso estar atento às necessidades sociais e psicológicas de cada um. Muitas dessas pessoas nunca participaram de um programa de atividade física e podem sentir-se acanhadas ou apresentar medo de cansar-se demais. O apoio dos familiares e amigos é essencial para aumentar a motivação e a assiduidade ao programa.
De maneira geral, a aceitação das mudanças necessárias no estilo de vida exige estratégias inovadoras para assegurar a viabilidade e a continuidade do novo comportamento. Para tanto, é preciso que as opções saudáveis sejam mais fáceis e acessíveis a toda a população, especialmente à população idosa.
Portanto, é essencial, que por meio das políticas de saúde, sejam disponibilizados serviços próximos à moradia dos idosos, pois a necessidade de grande deslocamento geralmente reduz a adesão.
 
 
 
FONTE: LIVRO- ENVELHECIMENTO E FUNCIONALIDADE -MONICA PERRACINI-2011