8 de agosto de 2013

COMO ENSINAR SEUS FILHOS SOBRE A DOENÇA DE ALZHEIMER.




Seu filho pode inicialmente não compreender sobre o Alzheimer, por isso torna-se tão importante conversar e esclarecer algumas coisas para que ele não reaja violentamente a alguma dificuldade em conviver com um familiar com a doença.
 
EXPLIQUE. Oriente seu filho sobre o que é Alzheimer e quais são as características dessa doença. Diga que a pessoa com Alzheimer tem dificuldade de lembrar de algumas coisas, ela pode lembrar de fatos ocorridos há mais de 23 anos, mas esquecer o que comeu no lanche da tarde.
Então, pode ser que o vovô ou a vovó algumas vezes não pareça o(a) mesmo(a), pode ser que esqueça alguns eventos importantes da vida familiar e talvez esqueça momentaneamente das pessoas.
Informe que a rotina pode mudar um pouco por conta disso, mas que o paciente com Alzheimer continua a amá-lo do mesmo modo.
 
PACIÊNCIA. Informe à criança que o paciente de Alzheimer pode demorar a dar respostas ou compreender algumas coisas sobre o que a criança está falando, por isso deve dar tempo para o paciente sentir-se à vontade em responder ou pensar; diga à criança que não apresse-o a responder, que ela deve ter calma.
 
REPETIÇÃO. Muitas vezes algumas perguntas terão que ser repetidas, então não se irrite se o paciente não entender a pergunta ou informação e você tiver que repetir várias vezes a mesma coisa.
Diga à criança que pode ser que o idoso não entenda de imediato as perguntas, então quando for necessário, ela deve repetir sem se irritar.
 
PALAVRAS CURTAS. Usar palavras ou frases curtas é a melhor forma de comunicação, pois fica mais fácil a compreensão.
 
COMUNICAÇÃO CORPORAL. Às vezes o paciente com Alzheimer tem dificuldades para falar e assim se comunicar, portanto será necessário estar atento à comunicação corporal ou não verbal. Ensine a seu filho que quando não entender o que o membro da família diz, que aponte para objetos para saber o que quer dizer.
 
NÃO RIR. Em muitas ocasiões o idoso pode confundir palavras ou não conseguir falar direito, de forma clara ou completa; diga à criança que se isso acontecer, ela não deve rir ou achar engraçado, nem fazer piada disso, pois de qualquer maneira pode magoar e demonstar falta de respeito com a condição do outro.
 
AMOR. Seja um exemplo e ensine as crianças da mesma forma. Demonstrar amor e carinho será essencial, já que o paciente pode sentir depressão. Mais do que nunca o apoio da família trará mais conforto e apoio emocional.
 
CUIDADOS. Se seu filho quiser passear com o idoso, o mais relevante é outro adulto acompanhar, pois o idoso pode perder-se e a criança pode esquecer como voltar pra casa.
Para evitar problemas façam passeios em família sempre visando o conforto e segurança.
 
ATIVIDADES. Por fim, estimule seu filho a brincar com o idoso e fazer com ele atividades que antes gostavam de fazer. Apesar do paciente ter apagões de lembranças, sua memória não é deletada nos hábitos que costumava ter antes da doença.
 
 
FONTE: FAMILIA.COM.BR