28 de março de 2013

O PAPEL DO FISIOTERAPEUTA NO ENVELHECIMENTO ATIVO.




O envelhecimento normal não está, necessariamente, relacionado a patologias e incapacidades; entretanto, favorece a diminuição da função orgânica, visto que todos os orgão e sistemas do corpo humano tem suas reservas funcionais diminuídas.
A presença de doença ou a manutenção de maus hábitos de vida, como o tabagismo, a dieta irregular e o sedentarismo, podem acelerar o processo de envelhecimento, levando um orgão ou sistema à falência e desencadeando patologias crônicas.
A participação do fisioterapeuta é muito importante no desenvolvimento do envelhecimento bem sucedido. Ele promove a ampliação de ações de promoção de sáude, pois ele passa um tempo considerável com o idoso e sua família, tendo oportunidade de trabalhar na educação, de intervir no ambiente, de realizer avaliações globais e de monitorar resultados.
Cabe ao fisioterapeuta levanter o estilo de vida não só do indivíduo, mas também de sua família, abrindo assim a possibilidade de atuar de maneira mais precoce no controle de possíveis fatores de risco para doenças.
Portanto, o fisioterapeuta deve ter uma ação pró-ativa no sentido de atuar de forma mais global em atenção ao indivíduo idoso, considerando o seu meio familiar e social, independentemente da existência ou não de políticas direcionadas ao mesmo.