22 de abril de 2013

EXERCÍCIOS RESISTIDOS APLICADOS NA POPULAÇÃO IDOSA.




Com o atual aumento da expectativa de vida ou "esperança de vida", sabemos que é essencial a preocupação com os aspectos físico, mental, emocional e social para a manutenção de uma boa qualidade de vida.
O processo natural de envelhecimento apresenta declínios na capacidade funcional e uma perda associada da independência do indivíduo.
Os exercícios resistidos devem ser preferenciais para a população de idosos, que frequentemente, apresentam limitações funcionais para atividades de vida diária. Além de muito seguros en função da fácil adaptação das sobrecargas, os exercícios resistidos são os mais eficientes para melhoria da força e resistência dos músculos e tendões, estimulam a coordenação neuromuscular e aumentam rapidamente a flexibilidade nas pessoas que apresentam redução nas amplitudes de movimento.
A Organização Mundial da Saúde recomenda que os exercícios resistidos sejam incorporados em qualquer programa para promoção de saúde. A razão desse posicionamento são os numerosos benefícios: aumento da massa muscular, aumento da força muscular, aumento da massa óssea, diminuição de dores musculoesqueléticas, melhora da coordenação, conscientização corporal, equilíbrio, melhora ou manutenção da flexibilidade e mobilidade, além de bem-estar biopsicossocial.
Portanto, um programa de exercícios resistidos bem direcionado, regular, eficiente e seguro deve ser o objetivo principal para indivíduos idosos, podendo reduzir alguns efeitos fisiológicos que ocorrem em função do processo de envelhecimento.
Preservar a força muscular e manter a flexibilidade são metas, que devemos alcançar para uma boa função musculoesquelética e consequentemente boa qualidade de vida.